► TELEFONE (11) 3132.7748 / (19) 4062.9339 (suspensos temporariamente por conta do Covid-19)
WHATSAPP (11) 94006.5245 EMAIL: contato@ionsbenefiicos.com.br 

Plano Odontológico Empresarial: Guia Completo!

14.10.2020
Plano Odontológico Empresarial: Guia Completo!

Uma das principais estratégias para atrair e reter talentos na empresa é a concessão de benefícios. Eles ajudam na produtividade do trabalhador e mostram que a empresa valoriza a mão de obra. Aqui, o plano odontológico empresarial é uma ótima alternativa, principalmente por ser um benefício procurado por muitos trabalhadores.

Contudo, esse serviço ainda gera muitas dúvidas entre os gestores, que ficam sem saber sobre como ele funciona, quais são os benefícios de contratar ou como achar o melhor plano para os funcionários. Você também passa por isso?

Para ter como aproveitar as vantagens e um ótimo custo-benefício na hora de contratar, é importante entender todas essas questões. Pensando nisso, fizemos um guia completo sobre o assunto. Continue a leitura e esclareça as principais dúvidas sobre o plano odontológico empresarial!

O que é o plano odontológico empresarial?

O plano odontológico empresarial representa um tipo de segmentação assistencial. Nesse caso, a empresa é que faz o contrato e repassa para os trabalhadores, que poderão utilizar serviços feitos por especialistas. Por isso mesmo, ele também é regulado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

O objetivo do plano é deixar o acesso ao atendimento odontológico de qualidade mais acessível, já que a saúde bucal tem grandes impactos na qualidade de vida das pessoas, afinal, ela afeta a autoestima. Além disso, a falta de cuidados pode gerar vários problemas de saúde, como dores, mal-estar e diversos sintomas.

Contudo, muitas pessoas deixam de dar a devida atenção às visitas ao dentista por conta dos custos envolvidos nas consultas e procedimentos particulares. Assim, por não terem condições de pagar as despesas, elas deixam de adotar as medidas de prevenção. Como consequência, também correm mais riscos de desenvolver problemas considerados graves, que podem levar à perda dentária e outras doenças bucais comuns além de doenças como Alzheimer.

Nesse cenário, contratar um plano de saúde odontológico empresarial como forma de beneficiar os empregados é uma solução muito interessante. Com acesso a serviços de qualidade com baixo custo, os trabalhadores conseguem investir em sua saúde bucal.

Como funciona esse tipo de plano?

O plano odontológico empresarial é bem parecido com os demais planos. Porém, para que não restem dúvidas sobre o assunto, vamos esclarecer os principais pontos sobre esse tipo de contrato. Veja só!

Rede credenciada

A rede credenciada dos planos abrange as clínicas, dentistas, laboratórios e consultórios que atendem pelo plano. Como as consultas e tratamentos só podem ser realizados na rede cadastrada, é essencial verificar essa questão antes de contratar.

Outro ponto que deve ser avaliado é a abrangência, que trata das localidades em que será possível se consultar. Nesse caso, o plano pode ser classificado da seguinte forma:

- nacional;
- estadual;
- municipal;
- regional (grupo de estados ou de municípios).

Coparticipação

Os planos podem ser contratados com ou sem coparticipação. No primeiro caso, o único custo sobre o contrato é a mensalidade, que só sofrerá alterações de valor devido aos reajustes anuais. Já no segundo, também é preciso arcar com os valores referentes às consultas, exames e tratamentos feitos em cada mês.

Carência

A carência é um período em que é preciso pagar as mensalidades antes de começar a usufruir as coberturas garantidas. Ou seja, até o término do prazo, não é possível fazer consultas ou tratamentos. Esses prazos variam de acordo com o tipo de procedimento e a ANS regula o tempo máximo que pode ser imposto pelas operadoras. Veja só esses períodos:

- 24 horas: casos de urgência ou emergência, como dor de dente muito forte ou um acidente que cause danos à região bucal;
- 180 dias: para as demais situações, como atendimentos eletivos, limpezas e outras consultas que não sejam urgentes.

No entanto, vale lembrar que as operadoras de planos odontológicos podem reduzir ou dispensar o cumprimento da carência. Aliás, muitas criam um prazo diferente para procedimentos simples, com apenas 90 dias de espera pelo segurado. Além disso, normalmente os planos empresariais com 30 ou mais vidas contam com isenção de todas as carências.

No entanto, essa coparticipação tem um percentual fixo (geralmente de 20% a 50%), seguindo o valor indicado na tabela da operadora. A vantagem, nesse caso, é que o custo fixo é menor, então esse tipo de plano traz maior economia para todos.

Dependentes no plano odontológico

As regras sobre dependentes é a mesma dos demais tipos de plano. A operadora é quem decide se é possível ter dependentes no plano e os limites sobre o parentesco. Portanto, leia a proposta do contrato com atenção para saber quais são as regras previstas.

Porém, isso é feito conforme as normas da ANS sobre o tema. De acordo com a Resolução Normativa (RN) -n.º 195, podem ser incluídos no plano de saúde:

- parentes de até 3º grau consanguíneo, como pais, filhos, avós, netos, tios e sobrinhos;
- parente de até 2º grau por afinidade, como sogros, genros, padrastos, enteados, etc

Procedimentos obrigatórios no plano odontológico empresarial

A RN n.º 439 da ANS traz o rol de procedimentos mínimos que devem ser cobertos pelo plano, assim como a classificação de cada tipo de procedimento. Você pode consultar a lista completa na norma, mas separamos alguns exemplos de situações que devem ser ofertadas pelo plano odontológico empresarial:

- consultas simples;
- exames histopatológico, após biópsia.
- curativos e suturas;
- diversos tipos de radiografias;
- profilaxia;
- remoção de tártaro;
- restaurações;
- redução da gengiva (em casos específicos);
- tratamento de canal;
- extração dentária.

Tratamentos não cobertos pelos planos odontológicos

Como a lista de itens cobertos é extensa, vale a pena saber quais os principais procedimentos não cobertos. Assim, você evita surpresas após a contratação. Em geral, os planos odontológicos não cobrem atendimentos que tenham como objetivo apenas a estética, da mesma forma com que acontece com os planos de saúde.

Contudo, a operadora do plano odontológico empresarial pode oferecer alguns desses procedimentos como cobertura adicional, como os tratamentos ortodônticos e próteses dentárias. Assim, sempre consulte todas as informações para entender se os tratamentos que você deseja oferecer aos funcionários foram incluídos.  

Formas de contratação - segmentação

O plano odontológico também pode ser contratado junto com os planos de saúde inserindo então cobertura ambulatorial ou hospitalar (com ou sem obstetrícia). Além disso, cada Seguradora pode criar níveis de planos diferentes, alguns mais abrangentes, outros mais restritivos, mas sempre seguindo as normativas da ANS. Desse modo, a empresa conta com várias opções caso queira oferecer um pacote mais completo para proteger a saúde dos colaboradores.   

A única exceção acontece com o plano referência, que não pode ser contratado com o odontológico na mesma operadora. Porém, sem dúvidas as outras coberturas combinadas conseguem garantir um ótimo serviço.  Vale ressaltar também que o mercado possui Seguradoras e Administradoras especializadas em comercializar somente Planos Odontológicos, daí a importância da empresa contar com uma boa assessoria junto a sua Corretora.

Reajustes anuais no custo do plano

O reajuste depende do tipo de contrato. Para menos de 30 vidas, o percentual deve ser o mesmo em todos os planos do mesmo tipo da operadora. Já nos casos em que há 30 ou mais vidas, o reajuste é negociado de forma livre entre as partes.

Nos dois casos, não é preciso observar os limites da ANS, pois elas se aplicam somente aos individuais e familiares.

Regras para a rescisão contratual

A rescisão do contrato entre a empresa e a operadora acontece quando não há mais interesse em manter o plano ativo. Isso pode se dar nos seguintes casos:

- diante de fraudes na contratação, por iniciativa da operadora;
- por inadimplência do contratante por mais de 60 dias em um período de 12 meses.

A multa por encerramento de contrato antes dos 12 meses que era prevista pela RN nº 195/2009 da ANS deixou de valer. A norma foi revogada em 30 de março de 2020 pela  RN nº 455/2020. Contudo, as demais multas contratuais ainda são válidas.

Em relação aos beneficiários (empregados e dependentes), a rescisão acontece nos seguintes casos:

- quando se encerra o contrato de trabalho, aplicando-se regras específicas para a manutenção do plano em caso de demissão sem justa causa e aposentadoria;
- quando o dependente deixa de cumprir os requisitos para ser assim considerado no contrato.

Quais os benefícios que o Plano Odontológico Empresarial proporciona?

Agora que você já sabe como funciona o plano odontológico empresarial, é hora de conhecer as vantagens que ele traz para a sua empresa. Por isso mesmo, fizemos uma lista com as principais, veja a seguir!

Colaboradores mais saudáveis

A primeira vantagem, podendo ser considerada a principal, é que o plano odontológico ajuda a manter os trabalhadores mais saudáveis. Os problemas dentais também geram saídas do trabalho e eles podem ter impactos na saúde de diversas formas, muitas vezes se relacionando com outras doenças.

Dessa forma, quando você busca maneiras de facilitar o acesso aos atendimentos pelos empregados, eles terão mais facilidade para manter uma rotina de cuidados com a saúde. Com menos faltas por causa de doenças, a empresa reduz custos e evita atrasos nos processos, já que a produção sofre impactos nesses casos.

Mais motivação para os funcionários

Quando os trabalhadores têm boas condições de saúde e estão satisfeitos com os benefícios recebidos, eles ficam mais motivados para o trabalho. Além disso, quando o plano permite a inclusão de familiares como dependentes, o efeito motivador é ainda maior.

Afinal, a proteção dos parentes é algo que traz preocupações, então saber que eles contam com um plano odontológico de qualidade traz mais tranquilidade e reflete no seu rendimento. Outro ponto de impacto é a retenção de talentos: tudo isso reduz a rotatividade. Com menos rescisões contratuais e novas contratações, a empresa diminui custos e otimiza processos.

Melhoria na imagem da empresa

Conceder benefícios aos trabalhadores também afeta a imagem do negócio e serve como um diferencial competitivo. Essas questões são temas de conversa e as práticas da empresa se tornam conhecidas na sociedade. Quando o público nota esse cuidado com os funcionários ao ter um plano de saúde, eles veem a empresa de outra forma.

Isso também afeta outros profissionais, que ao saber sobre o plano odontológico, enxergam mais vantagens em trabalhar no local. Como resultado, a empresa aumenta a atração de talentos, com mais chances de contratar os melhores profissionais.

Mais ganhos para o empregado

Uma preocupação comum entre as empresas são os pedidos de aumento de salário. Isso acontece com você? As variações nos custos de vida podem fazer com que os trabalhadores precisem pedir auxílio para a empresa. Os benefícios são uma forma de dar esse aumento de forma indireta.

Com o plano, ele terá mais ganhos, já que a empresa quita parte ou o total dos gastos. Por outro lado, isso não traz outros custos trabalhistas, como reflexo nas férias, no 13º salário, no FGTS, INSS e outros encargos.

Baixo custo na contratação

A cobertura odontológica tem um custo baixo, principalmente quando se compara às outras opções de planos. Portanto, ela consegue trazer todas as vantagens já citadas, sem que a empresa precise arcar com gastos muito altos.

Esse pode ser um atrativo, já que a concessão de benefícios é uma estratégia importante para o negócio. Porém, os limites do orçamento podem impedir outras práticas comuns, como vale-refeição ou planos de saúde com mais coberturas. Diante disso, o plano odontológico surge como uma opção mais viável quando se trata dos custos, pois não exige um gasto muito alto.

Dedução do Imposto de Renda

Outra vantagem da parte financeira é que a empresa pode deduzir os gastos com plano do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ). A empresa deve informar apenas os valores pagos por ela — o que for quitado pelo trabalhador não pode ser deduzido.

O mesmo vale para os trabalhadores: tudo o que eles pagarem referente ao plano de saúde pode sofrer desconto na declaração de IR de pessoa física. Para não errar, é sempre importante ter suporte de uma consultoria para entender as regras aplicáveis no seu caso.

Potencial de retorno do investimento

Empregados motivados e saudáveis produzem mais, então a empresa consegue melhorar os resultados e, também, os lucros. Isso quer dizer que investir em um plano odontológico empresarial tem um grande potencial sobre o retorno do investimento.

Ele tem um baixo custo e é fácil de contratar, sendo que também reduz os afastamentos e aumenta a renda da empresa. Dessa maneira, em vez de encarar o benefício como um gasto, encare-o como um ótimo investimento para o seu negócio.

Quando vale a pena contratar o plano odontológico empresarial?

Não existe uma regra exata sobre isso. De modo geral, essa prática traz benefícios em qualquer situação, para empresas de todos os portes. O segredo é procurar uma corretora de confiança para ter acesso às propostas das operadoras. Com base nisso, é possível achar a que oferece o melhor custo-benefício para a empresa.

Além disso, sem dúvidas, você deve fazer uma análise das finanças para garantir que a empresa tem condições de arcar com os custos do benefício. Mesmo que as regras dos planos empresariais permitam a contratação em que o trabalhador assume todas as despesas, na prática isso não acontece muito.

Aqui, o mais comum é que o empregador tenha que arcar com, pelo menos, uma parte das despesas, com o desconto do restante na folha de pagamento dos trabalhadores.

Como escolher um plano odontológico empresarial?

Depois de entender por que vale a pena ter um plano odontológico empresarial, é preciso saber como escolher o ideal. São vários fatores que devem ser vistos para tomar a melhor decisão. Essa tarefa pode parecer difícil, mas existem dicas que vão te ajudar. Confira!

Pesquise as opções de operadoras

Para começar, analise quais são as operadoras que ofertam planos odontológicos na sua região. Vale lembrar que existem muitas opções que trabalham apenas com esse tipo de plano, o que garante uma variedade de opções e serviços diferenciados.

Aqui, vale pedir dicas para os seus amigos e pesquisar na internet para ter acesso a mais opções. É a partir disso que você vai iniciar a busca por mais detalhes para ter como comparar os planos e decidir qual é o mais vantajoso.

Confira se a operadora tem registro na ANS

Depois, é preciso verificar se a operadora tem o registro, já que esse é um requisito exigido para que ela possa vender planos. O portal da ANS tem uma página que pode ser usada por quem deseja ver se o plano é regular, basta acessar este link.

Outro ponto que exige atenção é ter certeza de que se trata de um plano odontológico. Existem empresas que trabalham com convênios que garantem descontos, mas eles não são regulados pela ANS.

Logo, não há garantia sobre rol de procedimentos e a aplicação de outras regras que foram criadas para proteger os usuários dos planos. Por isso mesmo, busque sempre operadoras que tenham cadastro ativo no órgão para ter mais segurança no contrato.

Verifique o histórico da operadora

Como é a atuação de operadora? Fazer pesquisas sobre o histórico ajuda a garantir uma boa contratação. É bem simples: converse com pessoas conhecidas e faça buscas online para entender se os clientes estão satisfeitos, quais são os problemas mais comuns e como é o atendimento nesses casos.

É comum que surjam alguns problemas, então um dos diferenciais mais importantes é saber como a empresa se porta diante de reclamações e problemas. Ela responde rapidamente? A solução é adequada? O cliente ficou satisfeito? Nas redes sociais e em páginas voltadas aos consumidores você pode encontrar avaliações, reclamações e outros dados sobre essas questões.

Considere a abrangência do plano

Já falamos sobre a abrangência, mas vale ressaltar a importância desse fator na decisão sobre o plano. A dica para não errar é avaliar o perfil dos colaboradores e a região onde eles moram — dependendo do local, é possível que existem trabalhadores que morem em outra cidade.

Quem tem vagas permanentes em home office também pode ter empregados que morem longe. Dessa forma, a abrangência do plano deve permitir o acesso às consultas nas regiões onde os funcionários moram. Caso façam muitas viagens em nome da empresa, avalie se vale a pena ter uma abrangência maior.

Analise os contratos ofertados

Depois de filtrar as opções, é hora de analisar os contratos Nesse caso, você deve verificar todos os detalhes para ter certeza de que ele atende às normas da ANS e é adequado aos objetivos da empresa. Veja alguns pontos de atenção:

- carências;
- rede credenciada;
- serviços adicionais, que vão além da cobertura obrigatória;
- valor da coparticipação;
- reajustes;
- direitos e deveres das partes;
- regras para a rescisão;
- multas.

É normal ter dúvidas ao ler o documento, então tenha sempre ajuda profissional. Assim, é possível fazer perguntas e discutir os termos para ter total segurança ao assinar o contrato.

Avalie o custo-benefício do plano

Por fim, avalie o custo-benefício do plano. Apesar de o preço ser um fator de peso na escolha, ele não deve ser o único. Também é importante verificar quais serão os ganhos com o plano, então questões como qualidade, serviços, histórico e condições do contrato são essenciais.

Compare as propostas dos planos, com uma lista de prós e contras de cada um. Essa prática torna a identificação da oferta mais vantajosa mais simples, para que você acerte na escolha.

Conte com suporte de uma corretora

Para ajudar a avaliar todas as questões, vale a pena contar com o suporte de uma corretora. Como o corretor trabalha para atender ao perfil da sua empresa, ele conseguirá buscar propostas, apresentar orçamentos e ajudar a fazer comparações.

Além disso, é possível encontrar corretoras que atuam como verdadeiras parceiras, com suporte completo na administração dos benefícios e uma consultoria de qualidade sobre o tema. Sem dúvidas, esse é um grande diferencial para que a estratégia seja mais eficaz.

Com a Íons Benefícios, por exemplo, além de ter auxílio para escolher o melhor plano odontológico, você também terá apoio para implementar as políticas e fazer a gestão dos benefícios ofertados como plano de saúde empresarial. Isso facilita a administração do negócio e as rotinas do setor de RH.

Como deu para notar, o plano odontológico empresarial é uma ótima alternativa para quem deseja conceder benefícios aos funcionários. Se possível, considere contratar outros benefícios como plano de saúde ou um seguro de vida, a fim de dar ainda mais proteção aos trabalhadores.

Então, gostou deste post? Se você está em busca dos melhores benefícios para os seus colaboradores, conheça as nossas áreas de atuação e veja como a Íon Benefícios pode ajudar o seu negócio!

Filtrar
Newsletter

Assine nossa Newsletter para receber notícias e informações da Íons Benefícios

Veja também